Total de visualizações de página

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

MENSAGEM DE NATAL


A todos os amigos botafoguenses, em especial, e aos nossos adversários, deixo uma bela mensagem de Gandhi junto com meus sinceros votos de boas festas e reflexões positivas para a vida de cada amigo. Que a Luz do divino Mestre Jesus seja um foco a nos conduzir no caminho do bem em 2011 e que continuemos juntos como AMIGOS.

"Senhor, ajuda-me a dizer a verdade
diante dos fortes e a não dizer mentiras para
ganhar o aplauso dos fracos.
Se me dás fortuna, não me tires a razão.
Se me dás sucesso, não me tires a humildade.
Se me dás humildade, não me tires a dignidade.
Ajuda-me a enxergar o outro lado da moeda.
Não me deixes acusar o outro
por traição aos demais, apenas por não pensar igual a mim.
Ensina-me a amar os outros como a mim mesmo.
Não deixes que me torne orgulhoso, se triunfo;
nem cair em desespero se fracasso.
Mas recorda-me que o fracasso
é a experiência que precede o triunfo.
Ensina-me que perdoar é um sinal de grandeza
e que a vingança é um sinal de baixeza.
Se não me deres o êxito,
dá-me forças para aprender com o fracasso.
Se eu ofender as pessoas,
dá-me coragem para desculpar-me.
E se as pessoas me ofenderem,
dá-me grandeza para perdoar-lhes.
Senhor, se eu me esquecer de Ti,
nunca Te esqueças de mim."

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1993: Súmulas

07/02/1993
BOTAFOGO 3 x 0 BANGU
Local: Caio Martins
Árbitro: Carlos Elias Pimentel
Público: 3.410 - Cr$ 204.100.000,00
Gols: Ari (contra) e Márcio Caruaru (2)
BOTAFOGO: André Luís, Eliomar, André, Rogério (Cláudio) e Junior; Nelson, Bob (Eraldo), Rogerinho e Márcio Caruaru; Marcelo e Eliel. Técnico: Paulo Emílio.
BANGU: Wagner, Bimba, Ari, Paulo Paiva e Paulo Campos; Luisinho (Lito), Marcelo Rodrigues, Maciel e Januário; Marcelo Henrique e Serginho (Robinho). Técnico: Moisés.

14/02/1993
BOTAFOGO 0 x 0 SÃO CRISTÓVÃO
Local: Nielsen Louzada, Mesquita
Árbitro: Márcio Nascimento
Público e Renda: 3.815 - Cr$ 225.900.000,00
BOTAFOGO: André Luís, Eliomar, André, Rogério e Junior; Nelson, Bob (Eraldo), Rogerinho e Márcio Caruaru; Marcelo (Sandro) e Eliel. Técnico: Paulo Emílio.
SÃO CRISTÓVÃO: Bingo, Nelson, Edvaldo e Tinho; Maurício (Léo), Cláudio, Branco, Dudu e Lulinha (Josimar); Catanha e Renatinho. Técnico: Alfredo Sampaio.

25/02/1993
BOTAFOGO 2 x 1 ENTRERRIENSE
Local: Caio Martins
Árbitro: Jorge Travassos
Público e Renda: 444 - Cr$ 26.640.000,00
Gols: Rogerinho e Marcelo; Anderson
BOTAFOGO: André Luís, China, André, Rogério e André Duarte; Nelson, Eraldo (Sandro), Perivaldo (Bob) e Rogerinho; Eliel e Marcelo. Técnico: Paulo Emílio.
ENTRERRIENSE: Nilton, Itaberá, Cadão, Paulo Ramos e Mazinho; Dago, Anderson e Zanon (Moresche); Rico, Silas (Ricardo) e Junior. Técnico: Othon Valentim.

01/03/1993
BOTAFOGO 6 x 1 AMERICANO
Local: Caio Martins
Árbitro: Carlos Elias Pimentel
Público e Renda: 438 - Cr$ 26.800.000,00
Gols: Rogerinho, Eliel (3), Perivaldo e Sandro; Denilson BOTAFOGO: André Luís, China (Eliomar), André, Rogério e André Duarte; Nelson, Perivaldo e Eraldo; Marcelo (Sandro), Eliel e Rogerinho. Técnico: Paulo Emílio.
AMERICANO: Chico, Ronald, Paraju, Vanderci e Nabor; Viana, Gaúcho, Darci e Pelica (Haroldo); Amarildo (Denilson) e Toti. Técnico: Renato Trindade.

07/03/1993
BOTAFOGO 0 x 2 VASCO DA GAMA
Local: Maracanã
Árbitro: Léo Feldman
Público e Renda: 43.639 - Cr$ 2.571.660.000,00
Gols: Bismarck e Luisinho.
BOTAFOGO: André Luís, China, André, Rogério e André Duarte; Nelson, Perivaldo (Sandro), Bob (Eraldo) e Rogerinho; Marcelo e Eliel. Técnico: Paulo Emílio.
VASCO DA GAMA Carlos Germano, Pimentel, Jorge Luís (Alê), Tinho e Cassio; Luisinho, Leandro, William (Sidney) e Carlos Alberto Dias; Bismarck e Valdir. Técnico: Joel Santana.

14/03/1993
BOTAFOGO 2 x 1 OLARIA
Local: Caio Martins
Árbitro: Luís Carlos Gonçalves
Público e Renda: 1.756 - Cr$ 105.360.000,00
Gols: China e Márcio Caruaru; Gersinho
BOTAFOGO: André Luís, Eliomar, André, Cláudio e Clei; China (Eraldo), Perivaldo, Márcio Caruaru e Rogerinho; Bob (Sandro) e Eliel. Técnico: Paulo Emílio.
OLARIA: Vágner (Chico), Vanderlei, Deninho, Adivaldo e Renan; Israel, Luciano Silva (Gilson), Luciano e Igor; Fábio e Gersinho. Técnico: Heron Ricardo.

22/03/1993
BOTAFOGO 1 x 1 VOLTA REDONDA
Local: Raulino de Oliveira
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira
Público e Renda: 2.177 - Cr$ 130.620.000,00
Gols: Rogerinho; Dão.
BOTAFOGO: André Luís, Eliomar, Marcão, Cláudio e Clei; Rogério (Bob), Perivaldo, Márcio Caruaru e Rogerinho; Eliel e Marcelo. Técnico: Paulo Emílio.
VOLTA REDONDA: Roberto Dênis, Vicente, Denilson, Denimar e Ari; Russo (Vander), Eduardo (Andinho) e Valtinho; Dão, Darci e Ricardo. Técnico: Wilson Leite.

28/03/1993
BOTAFOGO 1 x 1 FLAMENGO
Local: Maracanã
Árbitro: Carlos Elias Pimentel
Público e Renda: 18.478 - Cr$ 1.513.250.000,00
Gols: Eraldo; Gaúcho
BOTAFOGO: André Luís, Eliomar, Toninho, Rogério e Clei; Nelson, Perivaldo (Édson Maradoninha), Eraldo e Rogerinho; Márcio Caruaru (Reginaldo Pinguim) e Eliel. Técnico: Paulo Emílio.
FLAMENGO: Gilmar, Charles, Junior Baiano, Wilson Gottardo e Piá; Uidemar, Junior, Marquinhos e Nélio (Marcelinho); Paulo Nunes (Nilson) e Gaúcho. Técnico: Jair Pereira.

01/04/1993
BOTAFOGO 2 x 2 AMÉRICA
Local: Maracanã
Árbitro: Cláudio Vinícius Cerdeira
Público e Renda: 1.784 - Cr$ 158.700.000,00
Expulsões: Odemilson e Reginaldo.
Gols: Reginaldo e Eliel; Bujica e Edenilson.
BOTAFOGO: André Luís, Eliomar, Toninho, Rogério e Clei; China, Perivaldo e Eraldo (Édson Maradoninha); Rogerinho (Sandro), Reginaldo Pinguim e Eliel. Técnico: Paulo Emílio.
AMÉRICA-Rio de Janeiro Marcelo Lourenço, Odemilson, Renê, Tiquinho e Marquinhos; Renê Weber (Serginho), Pino, Luís Carlos e Jerry; Bujica e Edenilson. Técnico: Joel Martins.

04/04/1993
BOTAFOGO 0 x 3 FLUMINENSE
Local: Maracanã
Árbitro: José Roberto Wright
Público e Renda: 21.465 - Cr$ 2.052.450.000,00
Expulsão: China.
Gols: Ézio, Julinho e Vagner.
BOTAFOGO: André Luís, Eliomar, Toninho, Rogério e Clei; China, Moisés, Eraldo e Rogerinho (Édson Maradoninha); Sandro (Márcio Caruaru) e Eliel. Técnico: Paulo Emílio.
FLUMINENSE: Ricardo Pinto, Zé Teodoro, Luís Fernando, Luís Eduardo e Marcelo Barreto; Cícero, Julinho (Rogerinho), Dudu e Macalé; Vagner e Ézio. Técnico: Edinho.

12/04/1993
BOTAFOGO 1 x 0 AMÉRICA-Três Rios
Local: Tiezão, Três Rios
Árbitro: Válter Senra
Público: 127
Gol: Édson Maradoninha.
BOTAFOGO: Arilson, Eliomar, Toninho, Rogério e Clei; Moisés, Perivaldo (Édson Maradoninha), Eraldo e Rogerinho; Reginaldo Pinguim e Eliel. Técnico: Paulo Emílio.
AMÉRICA-Três Rios: Marquinhos, Robson, Adriano, Cesinha e Sidnei; Simão, Abílio e Evandro (Marcelinho); Quarentinha, Mazola e Carlos Alberto. Técnico: Rafaele Graniti.

17/04/1993
BOTAFOGO 0 x 0 AMERICANO
Local: Godofredo Cruz
Árbitro: Valter Senra
Público e Renda: 725 - Cr$ 72.500.000,00
BOTAFOGO: André Luís, Eliomar, Toninho, Rogério e Clei; Moisés, Perivaldo (André), Rogerinho e Édson Maradoninha; Reginaldo Pinguim e Eliel. Técnico: Othon Valentim.
AMERICANO: Romário, Ronald, Vanderci, Nabor e Mauro; Haroldo, Gaúcho (Darci) e Berg; Amarildo, Toti e Pelica. Técnico: Luís Alberto.

03/05/1993
BOTAFOGO 1 x 0 BONSUCESSO
Local: Moça Bonita
Árbitro: Jorge Emiliano dos Santos
Público e Renda: 319 - Cr$ 31.900.000,00
Gol: Eliel.
BOTAFOGO: André Luís, China, Toninho, Rogério e Clei; Moisés, Perivaldo, Rogerinho e Édson Maradoninha (Márcio Caruaru); Marcelo (Reginaldo Pinguim) e Eliel. Técnico: Othon Valentim.
BONSUCESSO Pastore, Moura, Maurão, Janotti e Alex; Carlos Alberto, Gui e Maurício (Betinho); Zé Vítor (Vanderlei), Carlos Eduardo e Carlos Henrique. Técnico: Coutinho.

05/05/1993
BOTAFOGO 0 x 1 BANGU
Local: Moça Bonita
Árbitro: Cláudio Garcia
Público e Renda: 400 - Cr$ 40.000.000,00
Expulsão: Moisés.
Gol: Marcelinho.
BOTAFOGO: André Luís, China, Toninho, Rogério e Clei; Moisés, Perivaldo, Rogerinho e Édson Maradoninha (Reginaldo Pinguim); Sandro (Marcelo) e Eliel. Técnico: Othon Valentim.
BANGU Wagner, Marcelinho, Paulo Campos, Paulo Paiva e Bimba; Marcão, Maciel, Pestana e Serginho; Jorge Luís (Cacu) e Robinho (Alcer). Técnico: Moisés.

09/05/1993
BOTAFOGO 1 x 2 VASCO DA GAMA
Local: Maracanã
Árbitro: José Roberto Wright
Público e Renda: 12.471 - Cr$ 1.187.500.000,00
Gols: Eliel; Valdir (2)
BOTAFOGO: Eduardo Niño, Eliomar (China), André, Toninho, Rogério e Clei; Perivaldo, Eraldo (Édson Maradoninha) e Rogerinho; Marcelo e Eliel. Técnico: Othon Valentim.
VASCO DA GAMA: Carlos Germano, Pimentel, Alexandre Torres, Jorge Luís e Cássio; França, Geovani, Bismarck e Gian (Pimpolho); Valdir e Jardel (Hernande). Técnico: Joel Santana.

12/05/1993
BOTAFOGO 0 x 1 OLARIA
Local: Rua Bariri
Árbitro: Carlos Elias Pimentel
Expulsão: Eliel.
Gol: Luciano Silva
BOTAFOGO: Eduardo Niño, China, André, Rogério (Édson Maradoninha) e Clei; Toninho, Moisés (Márcio Caruaru), Rogerinho e Eraldo; Marcelo e Eliel. Técnico: Othon Valentim.
OLARIA: Vagner, Vanderlei, Deninho, Fabiano e Leandro; Israel (Adriano), Fábio e Luciano; Luciano Silva, Gersinho (Mumu) e Igor. Técnico: Heron Ricardo.

16/05/1993
BOTAFOGO 0 x 2 FLUMINENSE
Local: Maracanã
Árbitro: Jorge Emiliano dos Santos
Público e Renda: 6.519 - Cr$ 624.400.000,00
Gols: Julinho e Macalé.
BOTAFOGO: Eduardo Niño, China, Toninho, André (Cláudio) e Clei; Moisés, Perivaldo, Rogerinho e Édson Maradoninha; Márcio Caruaru e Reginaldo Pinguim (Sandro). Técnico: Carlos Alberto Torres.
FLUMINENSE: Ricardo Pinto, Júlio César, Luís Fernando, Luís Eduardo e Marcelo Barreto; Chiquinho, Cícero, Julinho (Mário) e Macalé (Sérgio Manoel); Vagner e Ézio. Técnico: Edinho.

19/05/1993
BOTAFOGO 3 x 1 AMÉRICA
Local: Caio Martins
Árbitro: Paulo Roberto Chaves
Público e Renda: 525 - Cr$ 52.500.000,00
Gols: Márcio Caruaru, Rogerinho e Édson; Pichetti.
BOTAFOGO: Eduardo Niño, China, André, Toninho e Clei; Moisés, Perivaldo, Édson e Rogerinho (Antônio Carlos); Márcio Caruaru (Cláudio) e Eliel. Técnico: Carlos Alberto Torres.
AMÉRICA: Zé Carlos (Marcelo Lourenço), Odemilson, Renê, Gilmar Francisco e Rogério; Djair, Luís Carlos (Tico) e Antônio Carlos; Serginho, Lima e Pichetti.

23/05/1993
BOTAFOGO 2 x 0 ITAPERUNA
Local: Caio Martins
Árbitro: Carlos Elias Pimentel
Público e Renda: 952 - Cr$ 95.200.000,00
Gols: Eliel e China
BOTAFOGO: Eduardo Niño, China, Toninho, Cláudio e Clei; Moisés (Sandro), Perivaldo, Edson Maradoninha e Rogerinho; Márcio Caruaru e Eliel. Técnico: Carlos Alberto Torres.
ITAPERUNA: Pacato, Flávio, Cláudio, Milton e Zé Carlos; Serginho, Marcão e Carlinhos; João Eusébio, Paraíba e Tilico (Alexandre).

27/05/1993
BOTAFOGO 7 x 2 SÃO CRISTÓVÃO
Local: Caio Martins
Árbitro: Válter Senra
Público e Renda: 393 - Cr$ 39.300.000,00
Gols: Toninho (2), Eliel (2), Márcio Caruaru, China e Édson Maradoninha; Sinésio e Sandro
BOTAFOGO: Eduardo Niño, China (Eliomar), Toninho, Cláudio e Clei; Moisés, Perivaldo e Eraldo (Sandro); Márcio Caruaru, Eliel e Édson Maradoninha. Técnico: Carlos Alberto Torres.
SÃO CRISTÓVÃO: Paulo Sérgio, Maurício, Gérson Gottardo (Rogério), Anderson e Edvaldo; Cláudio, Nélson e Branco; Renatinho (Sandro), Paulo Dias e Sinésio. Técnico: Alfredo Sampaio.

30/05/1993
BOTAFOGO 1 x 4 FLAMENGO
Local: Maracanã
Árbitro: Daniel Pomeroy
Público e Renda: 12.727 - Cr$ 1.194.300.000,00
Gols: Toninho; Nilson (3) e Renato Gaúcho.
BOTAFOGO: Eduardo Niño, China (Eliomar), Toninho, Cláudio e Clei; Moisés, Perivaldo, Eraldo e Édson Maradoninha; Márcio Caruaru (Rogerinho) e Eliel. Técnico: Carlos Alberto Torres.
FLAMENGO: Gilmar, Fabinho, Junior Baiano, Wilson Gottardo e Piá; Uidemar, Marquinhos, Djalminha (Luís Antônio) e Nélio; Renato Gaúcho e Nilson. Técnico: Jair Pereira.

05/06/1993
BOTAFOGO 2 x 1 VOLTA REDONDA
Local: Caio Martins
Árbitro: Luís Carlos Gonçalves
Público e Renda: 335 - Cr$ 33.500.000,00
Expulsão: Dão.
Gols: Rogerinho e Marcelo; Humberto.
BOTAFOGO: Eduardo Niño, China, Toninho, Cláudio e Clei; Moisés, Perivaldo (Reginaldo), Rogerinho e Eraldo (Eliomar); Sandro e Marcelo. Técnico: Carlos Alberto Torres.
VOLTA REDONDA: Roberto Dênis, Vicente, Denimar, Denílson e Ari; Russo (Palito), Andinho, Dão e Humberto; Isaías (Ricardo) e Ronei.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

O BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA (F.M.D.) DE 1937


FMD = Federação Metropolitana de Desportos.

Obs: O campeonato da F.M.D. não terminou devido à pacificação entre as Ligas: a oficiosa Liga Carioca de Futebol e a oficial Federação Metropolitana de Desportos, filiada a CBD/CBF. Os jogos não foram anulados.

BOTAFOGO 2 x 2 OLARIA
Data: 16.05.1937
Local: Rua Cândido Silva, Rio de Janeiro
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Álvaro (1° tempo); Canhoto, Álvaro e Canhoto (2° tempo)
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Octacílio e Nariz; Affonso, Zezé Moreira (Martim) e Canalli; Álvaro, Antenor (Luciano), Russinho, Nilo (Otto) e Patesko.
OLARIA: Inglez, Enneas e Fraga; Zarcy, Del Popolo e Nonô; Ary, Velha, Alvarenga, Nestor e Canhoto.
Fonte: O Jornal

BOTAFOGO 0 x 2 BANGU
Data: 23.05.1937
Local: Rua Ferrer, Rio de Janeiro
Árbitro: Alderico Solon Ribeiro
Gols: Antônio (1° tempo) e Zé Carlos (2° tempo)
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Octacílio e Nariz; Affonso (Luciano), Martim e Canalli; Álvaro, Antenor (Franklin), Armando (Russinho), Pirica e Patesko.
BANGU: Euro, Mário e Camarão; Paiva, Rodrigo e Leitão; Nico, Antônio (Paquera), Zé Carlos, Estanislau e Anatole (Dininho).
Fonte: Jornal do Brasil

BOTAFOGO 1 x 2 MADUREIRA
Data: 30.05.1937
Local: Rua Domingos Lopes, Rio de Janeiro
Árbitro: Alderico Solon Ribeiro
Gol: Bahia e Patesko (1° tempo); Bahia (2° tempo)
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Octacílio e Nariz; Affonso, Luciano e Canalli; Álvaro, Martim (Antenor), Armando (Pirica), Russinho e Patesko.
MADUREIRA: Onça, Norival (Tuíca) e Cachimbo; Gringo, Paulista e Alcides; Adylson, Almir, Bahia, Julinho (Dentinho) e Popó.
Fonte: Jornal do Brasil

BOTAFOGO 1 x 0 ANDARAHY
Data: 20.06.1937
Local: Barão de São Francisco, Rio de Janeiro
Árbitro: José Pinto Lopes “Badu”
Gol: Chemp (1° tempo)
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Octacílio e Nariz; Affonso, Luciano e Canalli; Álvaro, Martim, Chemp, Otto (Russinho) e Patesko.
ANDARAHY: Francisco, Pitta e Neiva; Tide, Flodoaldo e Pintado; Oscarino (Balleiro), Camillo, Romualdo (Russo), Ismael e Ovídio.
Fonte: O Jornal

BOTAFOGO 0 x 3 SÃO CRISTÓVÃO
Data: 30.06.1937
Local: Figueira de Mello, Rio de Janeiro
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Carreiro e Roberto (1° tempo) e Carreiro (2° tempo)
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Octacílio e Nariz; Affonso (Zezé Moreira), Luciano e Canalli; Álvaro, Antenor (Chemp), Martim, Russinho (Braga) e Patesko.
SÃO CRISTÓVÃO: Walter, Hernandez e Oswaldo; Picabéia, Dodô e Afonsinho; Roberto, Villegas, Caxambu, Quintanilha e Carreiro.
Obs: Affonso foi expulso e, pelas regras da FMD, jogador expulso era substituído.
Fonte: O Jornal

BOTAFOGO 3 x 0 CARIOCA
Data: 11.07.1937
Local: Estrada Dona Castorina, Rio de Janeiro
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Chemp e Russinho, no 1° tempo; Patesko, de falta, no 2° tempo.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Octacílio e Nariz; Luciano, Martim e Canalli; Álvaro, Braga (Antenor), Chemp, Russinho e Patesko.
CARIOCA: Hélio, Moysés e Esquerdinha; Bethuel (Appolinário), Márcio Ramos e Reynaldo; Vadinho, Aurélio, 60, Bianco (Gama) e Mineiro

NOTA:

Antes que se realizasse o jogo contra o Vasco da Gama, o campeonato foi interrompido em virtude da pacificação entre as Ligas: Federação Metropolitana de Desportos (FMD) e Liga Carioca de Futebol (LFC).
Fontes: A Noite e Jornal dos Sports.

Colaboração: Pedro Varanda.

domingo, 21 de novembro de 2010

GRANDES GOLEADAS DO BOTAFOGO

BOTAFOGO 8 x 1 SÃO PAULO
Data: 10 de julho de 1940
Local: Estádio das Laranjeiras, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Heitor Marcelino Domingues, da Federação Paulista de Futebol.
Gols: Paschoal (3), Patesko (2), Tadique, Carvalho Leite e Nélson Juliani para o Botafogo e Remo para o São Paulo.
BOTAFOGO: Brandão, Graham Bell (Bibi) e Araraquara; Zezé Procópio, Zezé Moreira (Martim) e Canalli; Tadique, Carvalho Leite (Nelson Juliani), Paschoal, César e Patesko. Técnico: Dori Krueschner.
SÃO PAULO: King, Bruno e Iracino (Bento); Fiorotti, Lola (Damasco) e Lisandro; Jofre, Bazzoni, Hemédio, Paulo e Remo. Técnico: Ramón Platero.

NOTAS:
1. Este jogo foi válido pelo Torneio Rio-São Paulo.
2. Foi a maior goleada sofrida pelo São Paulo F.C. em toda a sua história.
3. Segundo o Jornal do Brasil, “não obstante a alta contagem, os alvinegros perderam ótimas oportunidades de aumentá-la”.
4. O São Paulo jamais voltaria a sofrer oito gols em uma mesma partida.

FONTES:
1. Almanaque do São Paulo
2. Jornal do Brasil.

sábado, 20 de novembro de 2010

O BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1934 (A.M.E.A.)

Em 27 de março de 1934, foi aceito o regime profissional no Botafogo, decisão do Conselho Deliberativo. Posteriormente como os demais clubes da A.M.E.A. não aderiram, o campeonato ainda foi no regime amador.
Fonte: “Jornal dos Sports”.

1º TURNO

BOTAFOGO 4 x 4 RIVER
Data: 15.04.1934
Local: Rua João Pinheiro
Árbitro: Waldemar Rodrigues Gomes
Gols: Luiz, Beijinho e Beijinho (1° tempo); Carvalho Leite, Beijinho, Canedo (de pênalti), Canedo e Luiz.
BOTAFOGO: Pedrosa, Albino e Pamplona; Affonso, Rogério e Ariel; Eloy (Áttila), Beijinho, Carvalho Leite, Jayme e Moura Costa. Técnico: Nicolas Ladanyi.
RIVER: Jaguaré, Bolão e Palmeira; Malaquias, Tosta e Fidalgo; Canedo, Manuel, Ivo, Luiz e Nelinho.
Fontes: A Noite, Jornal do Brasil e O Jornal

BOTAFOGO 4 x 2 MAVILIS
Data: 22.04.1934
Local: General Severiano
Árbitro: Sebastião de Campos Cesário
Gols: Carvalho Leite (2) e Beijinho (2) para o Botafogo; Aragão e Ary para o Mavilis.
BOTAFOGO: Pedrosa, Vicente e Albino; Affonso, Waldyr e Pamplona; Áttila, Beijinho, Carvalho Leite, Nilo e Moura Costa. Técnico: Nicolas Ladanyi.
MAVILIS: Medonho, Polaco e Genaro; Alô II, Sylvério (Pedro) e Parreira; Alô I (Machado), Ary, Aragão, Honorino e Antoninho.
Fontes: Correio da Manhã, A Noite e Jornal do Brasil.

BOTAFOGO 6 x 0 BRASIL
Data: 13.05.1934
Local: General Severiano
Árbitro: Waldemiro Domingos Liotti
Gols: Nilo e Franklin (1° tempo); Nilo, Franklin, Nilo e Jayme (2° tempo).
BOTAFOGO: Gaguinho, Vicente e Albino; Ferreira (Long), Rogério e Corisco; Eloy, Franklin, Nilo, Jayme e Pirica. Técnico: Nicolas Ladanyi.
BRASIL: Botelho, Lúcio e Octávio; Maggire, Nefinho e Walter; Mário, Betinho, Modesto, Zezinho e Waldemar.
Fontes: A Noite, Jornal do Brasil e O Globo

BOTAFOGO 0 x 3 ENGENHO DE DENTRO
Data: 20.05.1934
Local: Engenho de Dentro
Árbitro: Waldemiro Domingos Liotti
Gols: Carvalhinho, no 1° tempo; Mário (2), no 2° tempo.
BOTAFOGO: Gaguinho, Vicente e Albino; Ferreira (Long), Rogério e Chibata (Eloy); Moura Costa, Franklin, Nilo, Jayme e Pirica. Técnico: Nicolas Ladanyi.
ENGENHO DE DENTRO: Ney, Rubem e Ikerpe; Virada, Adonillo e Quino; Mário, Manolo, Cavallaria, Antônio e Carvalhinho.
Obs: 1) O árbitro, parcialíssimo, anulou um tento legítimo de Nilo que, revoltado retirou o time de campo.
Fontes: A Noite, Correio da Manhã e O Jornal

BOTAFOGO 3 x 2 OLARIA
Data: 03 / 06 / 1934
Local: General Severiano, Rio de Janeiro
Árbitro: Carlos de Carvalho “Americano” (do Andarahy AC)
Gols: Moura Costa, Franklin, Beijinho e João (1° tempo); Gago (2° tempo).
BOTAFOGO: Gaguinho, Vicente e Albino; Ferreira, Rogério e Corisco (Long); Moura Costa, Franklin, Beijinho, Nilo e Jayme. Técnico: Nicolas Ladanyi.
OLARIA: Biroba, Alfredo e Armindo; Augusto, Joaquim e Germano; Horácio, Gago, Zé Luiz (Pierre), João e Gaúcho.
Fontes: A Noite, Correio da Manha, JC, JS e O Jornal

BOTAFOGO 6 x 0 PORTUGUESA
Data: 10.06.1934
Local: General Severiano
Árbitro: Leonardo Gonçalves Teixeira
Gols: Beijinho, Franklin e Nilo (1° tempo); Nilo, Beijinho e Nilo (2° tempo).
BOTAFOGO: Gustavo, Rogério e Albino; Ferreira, Chibata (Eloy) e Long; Moura Costa, Nilo, Franklin, Beijinho e Jayme. Técnico: Nicolas Ladanyi.
PORTUGUESA: Nogueira, Nélson e Fernandes; Antônio, Lúcio e Olympio; Paulo, Luiz, Waldemar, Arnaldo e Mário (Cardoso).
Obs.: 1) Gustavo defendeu um pênalti cobrado por Olympio no 1° tempo.
Fontes: A Noite, Jornal dos Sports e O Jornal

BOTAFOGO 2 x 2 ANDARAHY
Data: 01.07.1934
Local: Barão de São Francisco
Árbitro: Manoel da Silva Barbosa
Gols: Bianco, Bianco, Nilo e Moura Costa (‘JB’) ou Moura Costa e Nilo (‘JS’) (todos no 2° tempo)
BOTAFOGO: Gustavo, Vicente e Albino; Ferreira, Rogério e Long (Chibata); Moura Costa, Beijinho, Nilo, Franklin e Jayme. Técnico: Nicolas Ladanyi.
ANDARAHY: Gustavo, Congo e Lourival; Faya, Bethuel e Venerotti; Álvaro, Palmier, Romualdo, Bianco e Ávila.
Fonte: Jornal do Brasil, Jornal dos Sports e O Jornal

2º TURNO

BOTAFOGO 0 x 2 MAVILIS
Data: 22.07.1934
Local: Rua Carlos Seidl, Retiro Saudoso
Árbitro: Honorato José da Silva de Miranda
Gols: Honorino e Chavão (ambos no 2° tempo)
BOTAFOGO: Gaguinho (Gustavo), Magioto e Albino; Ferreira, Rogério e Long; Eloy, Nilo, Beijinho, Franklin e Jayme. Técnico: Nicolas Ladanyi.
MAVILIS: Medonho, Baguette e Polaco; Parreira, Chavão e Alô II; Alô I, Pisca, Aragão, Honorino e Sá.
Fontes: A Noite, Jornal do Brasil, Jornal do Commercio e O Jornal.

BOTAFOGO 2 x 0 OLARIA
Data: 26.08.1934
Local: Rua Cândido Silva
Árbitro: Carlos Martins da Rocha “Carlito”
Gols: Nilo (1° tempo); Nilo (2° tempo)
BOTAFOGO: Germano, Vicente e Albino; Ferreira, Waldyr e Ariel; Áttila, Beijinho, Carvalho Leite, Nilo e Dondon. Técnico: Nicolas Ladanyi.
OLARIA: Biroba, Alfredo e Armindo; Nonô, Viveiros e Gradim; Horácio, Gago, Caraúna, Pierre e Zé Crioulo.
Obs: 1) O árbitro escalado Osmar Monteiro de Barros não compareceu, sendo substituído, de comum acordo entre os clubes, por Carlos Martins da Rocha “Carlito”; 2) Germano defendeu pênalti cobrado por Pierre.
Fontes: A Noite, Jornal dos Sports e O Jornal

BOTAFOGO 2 x 1 PORTUGUESA
Data: 11.11.1934
Local: Rua Moraes e Silva
Árbitro: Osmar Monteiro de Barros
Gols: Arthur, de pênalti, no 1° tempo; Celso e Franklin, no 2° tempo.
BOTAFOGO: Victor, Vicente e Albino (Celso); Magioto, Rogério e Ariel; Dondon, Beijinho, Carvalho Leite (Franklin), Nilo e Jayme. Técnico: Nicolas Ladanyi.
PORTUGUESA: Nogueira, Nélson e Esther; Noé, Mimosa e Bolão; Jaguarão, Arnaldo, Edgard, Paulo e Arthur.
Fontes: Jornal dos Sports e O Jornal

BOTAFOGO 2 x 1 ANDARAHY
Data: 02.12.1934
Local: General Severiano
Árbitro: Leonardo Gonçalves Teixeira
Gols: Nilo, no 1° tempo; Bianco e Áttila, de pênalti, no 2° tempo.
BOTAFOGO: Victor, Magioto e Rogério (Jayme); Ferreira, Martim e Ariel; Áttila, Nilo, Carvalho Leite, Franklin e Moura Costa. Técnico: Nicolas Ladanyi.
ANDARAHY: Jaguaré, Congo e Peres; Faria, Bethuel e Venerotti; Aldo, Jayme, Romualdo, Fernandes e Mineiro (Bianco).
Obs.: 1) Com essa vitória, o Botafogo conquistou o título de tricampeão carioca (1932-1933-1934). A AMEA era a dirigente oficial do futebol do Rio de Janeiro.
Fontes: A Noite e O Jornal

CAMPANHA:

Jogos: 11
Vitórias: 7
Empates: 2
Derrotas: 2
Gols Pró: 31
Gols Contra: 17.

Jogaram:

Albino Mesquita Pinheiro, 10 jogos.
Nilo Murtinho Braga, 10.
Jayme Terra, 9.
Rogério Braga Filho, 9.
Franklin Padrão, 8.
Benjamin Silva Filho (Beijinho), 8.
Carlos Ferreira de Almeida, 8.
Leandro Moura Costa, 7.
Vicente Paulo Mattos da Graça, 7.
John Charles Long Júnior, 6.
Eloy Esteves, 5.
Carlos Antônio Dobbert de Carvalho Leite, 5.
Ariel Augusto Nogueira, 4.
Áttila de Carvalho, 4.
Carlos Moura Costa (Gaguinho), 4.
Eduardo Gaui (Chibata), 3.
Gustavo Henrique Ribeiro de Carvalho, 3.
Nélson Magioto, 3.
Roberto Gomes Pedrosa, 2.
Estanislau de Figueiredo Pamplona, 2.
Affonso Azevedo Carneiro, 2.
Walter Guimarães (Waldyr), 2.
Alberto Piragibe Lyra de Lemos (Pirica), 2.
Victor Corrêa Gonçalves, 2.
Paulo Samuel Santos (Dondon), 2.
Walter Guimarães Simas (Corisco), 2.
Germano Boettcher Sobrinho, 1.
Celso Cardoso Linhares, 1.
Martim Mércio da Silveira, 1.

Total: 29 jogadores.

Técnico: Nicolas J. Ladanyi.

Artilheiros:

Nilo, 10 gols.
Beijinho, 8.
Franklin, 5.
Carvalho Leite, 3.
Moura Costa, 2.
Áttila, 1.
Celso, 1.
Jayme, 1.

Total: 31 gols.


segunda-feira, 15 de novembro de 2010

GRANDES GOLEADAS DO BOTAFOGO

BOTAFOGO 9 x 2 FLAMENGO
Data: 29 de maio de 1927
Local: Rua Paysandu (campo do Flamengo)
Árbitro: Milton de Castro Menezes
Competição: Campeonato Carioca
Gols: Ariza, 8; Joãozinho, 10; Nilo, 11; Almo, 13; Ariza, 18;  Nilo, 27; Moderato, 28; Nilo, 35 e 45; Frederico, 55 e Joãozinho, 65. 
BOTAFOGO: Neiva, Couto e Octacílio; Pamplona (Jeronymo), Almo e Rogério; Ariza, Neco, Nilo, Joãozinho e Claudionor.
FLAMENGO: Egberto, Hermínio e Hélcio; Benevenuto, Frederico e Flávio Costa; Chrystolino, Pastor, Fragoso, Angenor e Moderato.

Obs.: a maior derrota na história do Flamengo.

Fonte: Almanaque do Flamengo.
Colaboração: Pedro Varanda.

GRANDES GOLEADAS DO BOTAFOGO


BOTAFOGO 15 x 1 RIACHUELO
Data: 4 de setembro de 1910
Local: Rua Guanabara
Árbitro: Emile Etchegaray
Competição: Campeonato Carioca
Gols: Abelardo de Lamare (7), Décio Viccari (3), Mimi Sodré (3), Emmanuel Sodré e Rolando de Lamare para o Botafogo e Nabuco Prado para o Riachuelo.
BOTAFOGO: Baena, Edgard Pullen e Dinorah; Rolando de Lamare, Lulu Rocha e Lefévre; Emmanuel Sodré, Abelardo de Lamare, Décio Viccari, Mimi Sodré e Lauro Sodré.
RIACHUELO: C. Fonseca, João de Oliveira e Antônio Miranda; J. Abreu, Nabuco Prado e Tatu; Jonas, Romeu D’Ambrózio, Raul Couto, Loth Silva e Paulo.

Obs.: a terceira maior goleada da história do Campeonato Carioca.

Colaboração: Pedro Varanda.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A FATÍDICA EXCURSÃO AO SUL EM 1932

O Botafogo conquistou o campeonato carioca de 1932 com cinco pontos de vantagem sobre o Flamengo, vice-campeão.
Pensando em premiar os jogadores campeões, a diretoria do Botafogo aceitou um convite para uma excursão ao Rio Grande do Sul.
Essa viagem, desgraçadamente, foi marcada pela fatalidade.
O grande craque Nilo, que acabara de ficar noivo, não quis viajar. O Botafogo convidou os jogadores Russinho, do Vasco da Gama, e Popó, do Andarahy.
No dia 9 de novembro de 1932, pelo vapor “Araçatuba”, a delegação do Botafogo seguiu para Porto Alegre, assim constituída: Chefes – Carlos Martins da “Carlito” Rocha e Alarico Maciel; Técnico – Nicolas Ladanyi; Jogadores (16) – Victor, Benedicto, Rodrigues, Afonso, Martim, Canalli, Álvaro, Paulinho, Carvalho Leite, Almir, Celso, Pedrosa, Rogério, Ariel, Russinho e Popó.
Com o quadro exausto, o Botafogo estreou no feriado de 15 de novembro, no estádio dos Eucaliptos, perdendo de 3 x 2 para o Internacional. Russinho e Álvaro marcaram para o Botafogo e Venenoso, duas vezes, e Tupan fizeram os gols do colorado gaúcho. Nestor Pereira foi o árbitro da partida. Assim formaram as equipes: BOTAFOGO: Victor, Benedicto e Rodrigues; Afonso (Ariel), Martim e Canalli; Álvaro, Almir, Carvalho Leite, Russinho e Celso.
INTERNACIONAL: Penha, Miro II e Risada; Alfredo, Mabília (Abbade) e Garnizé; Marreco, Venenoso, Tupan, Marroni e Patesko.
Apesar de mais descansado, o Botafogo foi novamente vencido cinco dias depois (20 de novembro), na Baixada, pelo Grêmio, pelo placar de 1 x 0, gol de Nenê.
O Botafogo efetuou algumas modificações em sua equipe, assim formada: Victor, Benedito e Rodrigues; Ariel, Martim e Canalli; Álvaro, Paulinho, Carvalho Leite, Russinho e Popó.
Já o Grêmio jogou com Lara, Dario e Sardinha I; Heitor, Poroto e Sardinha II; Lacy, Artigas, Luiz Carvalho, Foguinho e Nenê.
O árbitro da partida foi Heitor Deste.
O terceiro encontro do Botafogo em Porto Alegre aconteceu no dia 24 de novembro, na Chácara das Camélias, contra o Cruzeiro, de Porto Alegre. Vitória do Botafogo por 2 x 1, gols de Carvalho Leite e Martim, contra um de David. O time vencedor atuou com Victor, Benedito e Rodrigues; Ariel, Martim e Canalli; Álvaro, Paulinho, Carvalho Leite, Russinho (Almir) e Celso. O clube gaúcho levou a campo Baptista, Cauduro e Espir; Benê, Nestor e Russo; Javel, Ignácio, Octacílio, Fagundes e David. O árbitro foi Mário Cunha.
Para o grande encontro de 27 de novembro, contra a Seleção de Porto Alegre, no Eucaliptos, o time do Botafogo viu-se desfalcado, à última hora, de Carvalho Leite e Russinho que foram acometidos de violenta febre: era o terrível tifo!
Ainda assim, o Botafogo foi a campo e empatou brilhantemente o jogo em 1 x 1. Celso marcou o gol botafoguense e Ferreira o do selecionado porto-alegrense. Victor, Benedito e Rodrigues; Afonso, Ariel e Canalli; Álvaro, Paulinho, Martim, Russinho, Popó (Almir) (Rogério) e Celso defenderam as cores do Botafogo. O selecionado da capital gaúcha formou com Penha, Luiz Luz e Risada; Alfredo, Poroto e Benê; Ferreira, Tupan, Luiz Carvalho, Marroni e Patesko. Nestor Pereira foi o árbitro do jogo.
Foi aí que Victor, Martim, Paulinho, Canalli e Benedicto desligaram-se da delegação, seguindo por terra para Montevidéu (chefiados por Alarico Maciel), onde se juntariam à Seleção Brasileira que acabaria vencendo a Copa Rio Branco (2 x 1 no Uruguai), além de vencer os amistosos contra os dois mais poderosos clube do Uruguai: 1 x 0 Peñarol e 2 x 1 Nacional. Os jogos aconteceram nos dias 4, 8 e 11 de dezembro, respectivamente.
A alegria pelas vitórias no Uruguai contrastava-se com a tristeza em Porto Alegre, onde fôra confirmado o tifo nos jogadores Carvalho Leite e Russinho.
No dia 30 de novembro, com o quadro desfalcado, o Botafogo teve de recorrer ao empréstimo de seus antigos jogadores Luiz Carvalho, Octacílio e Benevenuto para formar a equipe que pudesse jogar contra o Força e Luz, em seu último compromisso na capital gaúcha. No estádio Moinhos de Vento, o Botafogo venceu por 3 x 2, tendo marcados os seus gols Luiz Carvalho (2) e Almir. Ferreira e Patesko (emprestado pelo Internacional) marcaram os tentos do Força e Luz. Formou o Botafogo com Pedrosa, Rogério e Rodrigues; Afonso, Ariel e Benevenuto; Álvaro, Octacílio (Almir), Luiz Carvalho, Popó e Celso. Atuaram pelo Força e Luz Lucindo, Luizelle e Amado; Lopes, Gradim e Álvaro; Ferreira, Negrito, Vanzetto, Dinga e Patesko.
A 1º de dezembro de 1932 embarcou de volta para o Rio de Janeiro a delegação do Botafogo, deixando Ariel para acompanhar os enfermos Carvalho Leite e Russinho, que ficaram no Hospital da Beneficência Portuguesa, entre a vida e a morte.
Mas, o pior estava por acontecer. Mal desembarcaram no Rio de Janeiro, adoeceram, vítimas do mesmo traiçoeiro tifo, Pedrosa, Álvaro, Almir, Benevenuto (que acompanhara os jogadores) e o zagueiro José Rodrigues que, não resistindo, faleceu a 7 de janeiro de 1933.

O NAUFRÁGIO DO ARAÇATUBA

A embarcação que levou o Botafogo até Porto Alegre, o Araçatuba, era um paquete do Lloyd Brasileiro.
Pouco tempo depois, mais precisamente em 5 de fevereiro de 1933, colidiu contra o molhe leste da Barra de Rio Grande. Alguns disseram que o acidente teria ocorrido à noite, devido à inexistência de um prático a bordo e deficiências na sinalização. Outras fontes relatam que a causa da colisão teria sido um forte temporal. A bordo, passageiros e mercadorias como tecidos, pneus, confete e lança perfume (para ser utilizado no Carnaval de Rio Grande). Todos os passageiros e tripulantes foram salvos. O Araçatuba foi mais um entre as dezenas de naufrágios na costa gaúcha.

RETRATO EM BRANCO E PRETO: NARIZ




 
Zagueiro, marcador duro e às vezes violento e que compôs a defesa do Botafogo conhecida como "Esquadrão de Cavalaria" na década de 30, Álvaro Lopes Cançado, o Nariz, nasceu em Campo Florido, na época distrito de Uberaba (MG), no dia 8 de dezembro de 1912.
O Instituto Granbery, de Juiz de Fora, sempre teve a tradição de revelar grandes atletas em várias modalidades. Um deles foi Nariz, em 1928, que logo depois passou a defender o Tupi, onde foi bicampeão de Juiz de Fora em 1930 e 1931.
Transferiu-se, ainda em 1931, para o Atlético Mineiro, onde fez seu primeiro jogo em 22 de março de 1931, no amistoso Atlético Mineiro 3 x 0 Palestra Itália (atual Cruzeiro). Sagrou-se campeão estadual em 1931 e 1932. Além disso, disputou o Campeonato Brasileiro de 1931 pela Seleção Mineira.
Seu último jogo no Atlético Mineiro aconteceu em 20 de novembro de 1932, no amistoso Atlético Mineiro 0 x 0 Vasco da Gama. Foram 32 jogos no Atlético Mineiro, sem marcar gols.
Passou, então, a defender o Fluminense. Sua estréia aconteceu em 16 de abril de 1933, no amistoso contra o Corinthians, com empate de 4 x 4. Esse foi o primeiro jogo do Fluminense como time profissional. Nariz sagrou-se vice-campeão carioca nesse mesmo ano.
No Fluminense disputou 46 jogos. O último deles, em 29 de novembro de 1934, no empate de 1 x 1 com o Bangu, nas Laranjeiras.
Ainda em 1934, deixaria o Fluminense e se transferiria para o Botafogo. Seu primeiro jogo com a camisa do Botafogo foi um amistoso realizado em 9 de dezembro de 1934, em São Januário, contra o Vasco da Gama (1 x 1). Indeciso, acanhado nos primeiros 40 minutos, firmou-se depois, brilhando na fase final.
Ainda em 1934 foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira, mas não chegou a jogar.
A estréia em competições oficiais somente aconteceu meses depois, em 12 de maio de 1935, no campeonato carioca daquele ano. No campo do Olaria, na rua Cândido Silva, o Botafogo venceu por 5 x 2.
Bicampeão carioca pelo Botafogo, em 1935 e 1936. Nesse ano, também sagrou-se campeão brasileiro pela Seleção Carioca.
A primeira participação na Seleção Brasileira aconteceu no Campeonato Sul-Americano (atual Copa América) disputado em Buenos Aires, Argentina. O primeiro jogo, em 3 de janeiro de 1937, com vitória de 6 x 4 sobre o Chile. Depois, mais dois, contra o Paraguai (5 x 0, em 13.01.1937) e contra a Argentina (0 x 1, em 30.01.1937).
Sua última participação na Seleção Brasileira aconteceu em 14 de junho de 1938, com vitória de 2 x 1 sobre a Tchecoslováquia, em jogo válido pela Copa do Mundo, em Bordeaux (França). Nesse jogo, o técnico Adhemar Pimenta escalou dez reservas, permanecendo no time apenas Leônidas da Silva. O Brasil ficou em terceiro lugar. Nariz entrou no lugar do zagueiro titular Machado.
Em 1939, foi vice-campeão carioca pelo Botafogo. Participou de 22 dos 24 jogos disputados pelo clube.
No ano em que o Botafogo comemorou o seu 36º aniversário (1940), também aconteceu a inauguração de seu Departamento Médico, confiado à direção do Dr. Álvaro Lopes Cançado. Este foi o primeiro departamento médico de um clube de futebol no Brasil. Para ser médico do Botafogo, Nariz tinha um contrato simbólico.
No campeonato carioca do mesmo ano, Nariz disputou metade dos jogos do Botafogo: 12.
O ano de 1941 foi o último como jogador do Botafogo. No mês de fevereiro, ajudou o Botafogo a conquistar a Copa Burgos, no México.
O último jogo pelo Campeonato Carioca (no qual o Botafogo chegou em terceiro lugar) aconteceu em 4 de maio de 1941, em General Severiano. Após estar vencendo por 4 x 3, o Botafogo permitiu a virada do Bangu para 5 x 4.
No Botafogo, Nariz disputou um total de 165 jogos.
Depois que abandonou o futebol, tornou-se ortopedista conceituado.
Em 1954 foi instalada a Escola de Medicina de Uberaba. Nariz foi o primeiro professor. Esta escola deu origem à atual Universidade Federal do Triângulo Mineiro.
No dia 10 de junho de 1972, o doutor Álvaro Lopes Cançado foi um dos convidados especiais para os festejos inaugurais do Estádio “Uberabão”. Ele deu a volta olímpica no gramado, conduzindo a bola do jogo entre as Seleções Brasileiras, a principal e olímpica, que teve o pontapé inicial desferido por Tostão.
Participou do movimento para criação da Sociedade Brasileira de Médicos de Futebol, em maio de 1977.
Em 19 de Setembro de 1984, suicidou-se com um tiro no peito, na sua fazenda em Campo Florido, sem que se soubesse as razões de tão inesperado gesto. Deixou dois filhos, ambos médicos.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

OS DEZ MAIS DO BOTAFOGO

Mesmo sabendo tratar-se de uma tarefa quase impossível escolher os dez melhores jogadores de um time centenário e de tantas glórias, sempre que tomo conhecimento de uma pesquisa ou de uma obra publicada a respeito, procuro tirar algo de proveitoso.
Recentemente, adquiri o livro OS DEZ MAIS DO BOTAFOGO, o sexto livro da Coleção Ídolos Imortais, da Maquinária Editora. Esse mesmo tipo de edição com outros grandes clubes do futebol brasileiro já circulam por todo País.
Esses foram os escolhidos do Botafogo (em ordem alfabética):

DIDI
GARRINCHA
GERSON
HELENO DE FREITAS
JAIRZINHO
MANGA
NILTON SANTOS
PAULO CÉSAR LIMA
TÚLIO
ZAGALO

Votaram: Armando Nogueira, Arthur Dapieve, Elena Landau, Gustavo Poli, João Moreira Salles, Luiz Mendes, Marcos Penido, Roberto Porto e Sérgio Augusto, além do autor, Paulo Marcelo Sampaio.
Outros jogadores lembrados foram: ALEMÃO, AMARILDO, BABY, BASSO, CARLOS ALBERTO TORRES, CARVALHO LEITE, GONÇALVES, LEÔNIDAS, MARINHO CHAGAS, MAURÍCIO, MAURO GALVÃO, MENDONÇA, MIMI SODRÉ, NILO, PAULINHO CRICIÚMA, PAULINHO VALENTIM, PAULO SÉRGIO, QUARENTINHA e ROBERTO MIRANDA.
Não fôra a presença do goleiro Baby, não haveria nenhuma surpresa. Já vi vários tipos de pesquisas semelhantes, de Placar, Lance e outros mais e é a primeira vez que vejo Baby entre os melhores do Botafogo. Sérgio Augusto, autor do livro “Botafogo Entre o Céu e o Inferno”, foi quem votou em Baby. O curioso é que neste livro, não há nenhuma menção a Baby!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

OS 21 JOGADORES UTILIZADOS PELO BOTAFOGO NA CAMPANHA DO TÍTULO DE CAMPEÃO CARIOCA DE 1930

AFFONSO AZEVEDO CARNEIRO (AFFONSO): 1 jogo;

ALKINDAR DUTRA DE CASTILHO (ALKINDAR): 2 jogos;

ÁLVARO GONÇALVES DA ROCHA (ÁLVARO): 2 jogos;

ANTÔNIO FRANCISCO ARIZA JÚNIOR (ARIZA): 19 jogos, 7 gols;

BENEDICTO DE MORAES MENEZES (BENEDICTO): 19 jogos, 1 gol;

CARLOS ANTÔNIO DOBBERT DE CARVALHO LEITE (CARVALHO LEITE): 20 jogos, 14 gols;

CARLOS LEAL BURLAMAQUI (CARLOS BURLAMAQUI): 20 jogos;

CELSO CARDOSO LINHARES (CELSO): 20 jogos, 13 gols;

EDMUNDO SOUZA ANDRADE (EDMUNDO): 1 jogo;

ESTANISLAU DE FIGUEIREDO PAMPLONA (PAMPLONA): 15 jogos;

GERMANO BOETTCHER SOBRINHO (GERMANO): 20 jogos;

HEITOR CANALLI (CANALLI): 4 jogos;

JOSÉ FERREIRA LEMOS (JUCA DA PRAIA): 6 jogos, 1 gol;

MARTIM MÉRCIO DA SILVEIRA (MARTIM): 20 jogos, 3 gols;

MURILO DA SILVA BARROS (COTIA): 1 jogo;

NILO MURTINHO BRAGA (NILO): 17 jogos, 13 gols;

OCTACÍLIO PINHEIRO GUERRA (OCTACÍLIO): 15 jogos;

OCTÁVIO DE MENEZES PÓVOA (PÓVOA): 3 jogos;

ORLANDO DA CUNHA PESSOA (ORLANDO PESSOA): 10 jogos;

PAULO GOULART DE OLIVEIRA (PAULINHO): 17 jogos, 8 gols;

ROGÉRIO BRAGA FILHO (ROGÉRIO): 3 jogos.

O BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1930: Súmulas.


1º TURNO

06.04.1930

BOTAFOGO 4 x 0 SYRIO E LIBANEZ
Local: General Severiano
Árbitro: Alberto Martins
Gols: Carvalho Leite, Nilo, Celso e Benedicto
BOTAFOGO: Germano, Otacílio e Orlando Pessoa; Cotia (Rogério), Martim e Burlamaqui; Ariza, Benedicto, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
SYRIO E LIBANEZ: Ismael, Aragão e Rodrigues; Lolô, Arnô e Arthur (Marcelo); Esperidião, Almeida, Cozinheiro, Miro e Catita.

20.04.1930

BOTAFOGO 3 x 4 BANGU
Local: General Severiano
Árbitro: Jorge Marinho
Gols: Martim, Celso e Ariza; Ladislau (2), Eduardo e Dininho.
BOTAFOGO: Germano, Otacílio e Orlando Pessoa; Burlamaqui, Martim (Afonso) e Rogério; Ariza, Benedicto, Carvalho Leite, Nilo e Celso (Juca da Praia). Técnico: Nicolas Ladanyi.
BANGU: Zezé, Domingos da Guia e Sá Pinto; Zé Maria (César), Santana e Eduardo; Buza, Ladislau, Plínio, Médio e Nicanor (Dininho). Técnico: Togo Renan Soares.

27.04.1930

AMÉRICA 3 x 3 BOTAFOGO
Local: Campos Sales
Árbitro: Jorge Marinho
Gols: Sobral, Fragoso, Celso e Nilo, no 1º tempo; Sobral e Nilo, no 2º.
AMÉRICA: Joel, Pennaforte e Hildegardo; Hermógenes, Flávio e Mosqueira; Sobral, Telê, Mineiro, Fragoso (Carola) e Gugu (Popó).
BOTAFOGO: Germano, Póvoa e Orlando Pessoa; C. Burlamaqui, Martim e Rogério (Paulinho); Ariza, Benedicto, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

04.05.1930

FLAMENGO 1 x 2 BOTAFOGO
Local: Rua Paysandu
Árbitro: Diogo Rangel
Gols: Vicentino; Carvalho Leite e Martim.
FLAMENGO: Floriano, Hermínio e Hélcio; Benevenuto, Darci e Pedro Fortes; Newton, Vicentino, Flávio Costa (Nonô), Angenor e Moderato.
BOTAFOGO: Germano, Póvoa e Orlando Pessoa; Burlamaqui, Martim e Benedito; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

11.05.1930

BOTAFOGO 5 x 1 BRASIL
Local: General Severiano
Árbitro: Oswaldo Kropf de Carvalho
Gols: 1º tempo - Nilo, Celso e Carvalho Leite; 2º tempo – Carvalho Leite, Paulinho e Jaú.
BOTAFOGO: Germano, Póvoa e Orlando Pessoa; C. Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
BRASIL: Joãozinho, Manoel Rodrigues e Bianco; Solon, Jorge (Zezé Moreira) e Nilo; Jaú, Coelho, Ondino, Modesto (Brilhante) e Walter.

18.05.1930

SÃO CRISTÓVÃO 0 x 3 BOTAFOGO
Local: Figueira de Melo
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Nilo (2) e Celso
SÃO CRISTÓVÃO: Romeu, Jucá e Zé Luiz; Waldomiro (Jaburu), Floriano e Ernesto; Jaime, Doca (Alceu), Agrícola, Arthur e Teophilo.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Orlando Pessoa; Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

25.05.1930

ANDARAHY 0 x 3 BOTAFOGO
Local: Rua Barão de São Francisco
Árbitro: Alderico Solon Ribeiro
Gols: 1º tempo - Carvalho Leite e Nilo; 2º tempo - Celso.
ANDARAHAY: Martins, Juvenal e Mineiro; Ferro, Pedro Faya e Leopoldo (Bethuel); Antoninho, João (Alfredinho), Angelino (Argentino), Baiano e Cid.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Orlando Pessoa (Octacílio); C. Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

01.06.1930

BOTAFOGO 5 x 2 BONSUCESSO
Local: General Severiano
Árbitro: Pedro Gomes de Carvalho
Gols: 1º tempo – Celso; 2º tempo - Nilo, Celso, Carvalho Leite, China II, Ariza e Gradim.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Orlando Pessoa (Octacílio); C. Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
BONSUCESSO: Medonho, Badu e Orlandini; Nico, Eurico e Cláudio; Carlinhos, Gradim, Ramiro (Pádua), Rapadura e China II.

08.06.1930

VASCO DA GAMA 1 x 2 BOTAFOGO
Local: São Januário
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: 84; Carvalho Leite (2)
VASCO DA GAMA: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Pascoal, 84 (Ennes), Russinho, Mário Matos e Sant’Anna.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Orlando Pessoa (Otacílio); Burlamaqui, Martim e Pamplona; Álvaro, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

14.09.1930

BOTAFOGO 3 x 2 FLUMINENSE
Local: General Severiano
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Paulinho, Carvalho Leite e Nilo; Preguinho e Alfredinho.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Otacílio; Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho (Alkindar), Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
FLUMINENSE: Batalha, David e Norival (Albino); Alemão, Fernando Giudicelli e Ivan Mariz; Ary, Lagarto, Alfredinho, Preguinho e De Mori (Pinto).

2º TURNO

21.09.1930

SYRIO E LIBANEZ 0 x 1 BOTAFOGO
Local: Figueira de Melo
Árbitro: Luiz Neves
Gol: Paulinho.
SYRIO E LIBANEZ: Ismael, Rodrigues e Fernandes; Lolô, Arnô e Marcelo; Catita, Almeida, Aragão, Aprígio (Palmier) e Miro.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Otacílio; C. Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

05.10.1930

BANGU 4 x 2 BOTAFOGO
Local: Rua Ferrer
Árbitro: Waldemar Alves
Gols: Jaguarão (2), Ladislau e Octacílio (contra); Ariza e Carvalho Leite.
BANGU: Zezé (Viola), Domingos da Guia e Sá Pinto; Zé Maria, Santana e Eduardo; Buza, Ladislau, Médio, Dininho e Jaguarão.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Otacílio; Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

12.10.1930

BOTAFOGO 5 x 2 AMÉRICA
Local: General Severiano
Árbitro: Carlos Martins da Rocha
Gols: Paulinho (2), Martim, Celso e Ariza; Sobral (2).
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Otacílio; Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
AMÉRICA: Joel, Pennaforte e Hildegardo; Hermógenes, Lincoln e Mário Pinto (Mosqueira); Sobral, Osvaldo, Carola, Telê e Fragoso.

19.10.1930

BOTAFOGO 2 x 0 FLAMENGO
Local: General Severiano
Árbitro: Waldemar Alves
Gols: 1º tempo – Nilo, de pênalti; 2º tempo – Nilo.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Otacílio; C. Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Alkindar, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
FLAMENGO: Floriano, Hélcio e Hermínio; Benevenuto, Khede e Simas; Armando, Donga (Sá Filho), Darcy, Marcondes e Rochinha.

26.10.1930

BRASIL 1 x 3 BOTAFOGO
Local: Praia Vermelha
Árbitro: Diogo Rangel
Gols: 1º tempo – Nilo; 2º tempo - Carvalho Leite, Celso e Delphim.
BRASIL: Antoninho, Manoel Rodrigues e Bianco; Nilo, Zezé Moreira e Solon; Walter, Jaú, Delphim, Neves (Brilhante) e Baiano (Nelson).
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Otacílio; C. Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Juca da Praia (Paulinho), Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

09.11.1930

BOTAFOGO 3 x 2 SÃO CRISTÓVÃO
Local: General Severiano
Árbitro: Carlos Martins da Rocha
Gols: Carvalho Leite, Paulinho e Celso; Vicente e Otávio.
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Otacílio; Burlamaqui, Martim e Canalli; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Nilo (Juca da Praia) e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
SÃO CRISTÓVÃO: Balthazar, Juca e Zé Luiz; Agrícola, Beleza e Ernesto; Tinduca (Otávio), Doca, Vicente, Artur e Gaúcho.

16.11.1930

BOTAFOGO 5 x 1 ANDARAHY
Local: General Severiano
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: 1º tempo - Ariza (2), Celso, Paulinho e Mangueirinha, de pênalti; 2º tempo - Juca da Praia.
BOTAFOGO: Germano, Benedicto e Octacílio; C. Burlamaqui, Martim e Pamplona (Canalli); Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Juca da Praia e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
ANDARAHY: Walter, Juvenal e Moacyr; Ferro, Pedro Faya e Barata; Antoninho, Antoniquinho, Pedro, Mangueirinha e Cid.

23.11.1930

BONSUCESSO 2 x 4 BOTAFOGO
Local: Teixeira de Castro, ex-Estrada do Norte
Árbitro: Carlos Martins da “Carlito” Rocha
Gols: Paulinho, Ramiro e Carvalho Leite (1º tempo); Ariza, Carvalho Leite e Carlinhos (2º tempo).
BONSUCESSO: Medonho, Alvarenga e Heitor; Nico, Claudionor “China I” (Eurico) (Artur) e Cláudio; Carlinhos, Ramiro, Gradim, Ayres e Emiliano “China II”.
BOTAFOGO: Germano, Benedicto e Octacílio; C. Burlamaqui (Canalli), Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Juca da Praia e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

30.11.1930

BOTAFOGO 0 x 2 VASCO DA GAMA
Local: General Severiano
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Ennes (2)
BOTAFOGO: Germano, Benedito e Octacílio; Burlamaqui, Martim e Pamplona; Ariza, Paulinho, Carvalho Leite, Juca da Praia (Edmundo) e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.
VASCO DA GAMA: Jaguaré, Brilhante e Itália; Tinoco, Fausto e Mola; Bahianinho, Ennes, Russinho, Mário Matos e Sant’Anna.

07.12.1930

FLUMINENSE 2 x 2 BOTAFOGO
Local: Laranjeiras
Árbitro: Oswaldo Travassos Braga
Gols: 1º tempo: Ary e Nilo; Celso e Preguinho.
FLUMINENSE: Velloso, Albino e Alemão; Frota, Cabral e Ivan Mariz; Ary (Zé Maria), Fernando Giudicelli, Alfredinho, Preguinho e De Mori.
BOTAFOGO: Germano, Benedicto e Orlando Pessoa; C. Burlamaqui, Martim e Pamplona (Canalli); Ariza (Álvaro), Paulinho, Carvalho Leite, Nilo e Celso. Técnico: Nicolas Ladanyi.

Colaboração: Pedro Varanda.

O BOTAFOGO NO CAMPEONATO CARIOCA DE 1936: Súmulas

FEDERAÇÃO METROPOLITANA DE DESPORTOS

1º TURNO

05.07.1936

ANDARAHY 5 x 2 BOTAFOGO
Local: Rua Barão de São Francisco, Andaraí
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Fragoso (3), Manolo e Chagas; Carvalho Leite e Russinho.
ANDARAHY: Joel, Baiano e Cazuza; Baby, Bethuel e Veranotti; Chagas, Astor, Manolo, Fragoso e Mineiro.
BOTAFOGO: Alberto, Otacílio e Nariz; Afonso, Martim (Zezé Moreira) e Luciano (Pirica); Álvaro, Leônidas da Silva, Carvalho Leite, Russinho e Patesko.

12.07.1936

BOTAFOGO 2 x 1 MADUREIRA
Local: General Severiano
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Carvalho Leite e Viveiros; Julinho.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Afonso, Martim e Canalli; Álvaro, Carvalho Leite, Viveiros, Russinho e Patesko.
MADUREIRA: Pintado, Norival e Cachimbo; Ferro, Morais e Alcides; Adilson, Kola (Julinho), Baía, Almir e Dentinho.

19.07.1936

SÃO CRISTÓVÃO 3 x 1 BOTAFOGO
Local: Figueira de Melo
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Carreiro, Nelson e Roberto; Patesko.
SÃO CRISTÓVÃO: Francisco, Osvaldo e Mário; Afonso, Dodô e Pintado; Roberto, Quintanilha, Hugo, Nelson e Carreiro.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Afonso, Martim e Canalli; Álvaro, Carvalho Leite, Viveiros (Zezé Moreira), Russinho e Patesko.

26.07.1936

BOTAFOGO 0 x 1 VASCO DA GAMA
Local: General Severiano
Árbitro: José Pinto Lopes
Gol: Orlando
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Afonso, Martim e Canalli; Álvaro, Nilo, Carvalho Leite, Viveiros e Patesko.
VASCO DA GAMA: Rei, Poroto e Itália; Oscarino, Zarzur e Calocero; Orlando, Kuko, Feitiço, Nena e Luna.

16.08.1936

BANGU 1 x 3 BOTAFOGO
Local: Rua Ferrer
Árbitro: Edmundo Martins Gomes
Gols: Paulista; Carvalho Leite (2) e Martim.
BANGU: Zezé, Mário e Ernesto; Perigo, Santana e Moacir; Paulista, Ladislau (China), Zeca, Antônio e Dininho. Técnico: Zé Maria.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira (Alberto), Otacílio e Brum; Afonso, Martim e Zezé Moreira; Álvaro, Nilo, Carvalho Leite, Russinho e Patesko.

07.09.1936

BOTAFOGO 7 x 0 OLARIA
Local: General Severiano
Árbitro: Loris Cordovil
Gols: Carvalho Leite (3), Russinho (3) e Armando.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Brum e Otacílio; Afonso, Martim e Canalli; Álvaro, Armando, Carvalho Leite, Russinho e Patesko.
OLARIA: Ubiratan, Caraúna (Salim) e Joaquim; Aristóteles, Eneas e Nonô; Ary, Gago, Euclydes (Fraga), Horácio e Pierre.

2º TURNO

04.10.1936

BOTAFOGO 4 x 0 ANDARAHY
Local: General Severiano
Árbitro: Alderico Solon Ribeiro.
Gols: Russinho, Carvalho Leite, Patesko e Viveiros.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Afonso, Martim e Canalli; Álvaro, Carvalho Leite, Viveiros, Russinho e Patesko.
ANDARAHY: André, Lino e Gomes; Tião, Bethuel e Veranotti; Chagas, Astor, Romualdo, Popó e Mineiro.

18.10.1936

MADUREIRA 3 x 0 BOTAFOGO
Local: Rua Domingos Lopes
Árbitro: Loris Cordovil
Gols: Baía, Dentinho e Kola.
MADUREIRA: Pintado, Tuíca e Cachimbo; Alcides, Morais e Gringo; Adilson, Kola, Baía, Julinho (Dentinho) e Batista.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Luciano, Martim e Canalli; Álvaro, Carvalho Leite, Viveiros (Zezé Moreira) (Brum), Russinho e Patesko.

25.10.1936

BOTAFOGO 3 x 0 SÃO CRISTÓVÃO
Local: General Severiano
Árbitro: Virgílio Fedrighi
Gols: Russinho (2) e Carvalho Leite.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Afonso, Zezé Moreira e Canalli; Álvaro, Carvalho Leite, Otto, Russinho e Patesko.
SÃO CRISTÓVÃO: Francisco, Mário e Cazuza; Pintado, Dodô e Afonsinho; Roberto, Quintanilha, Hugo, Nelson e Carreiro.

01.11.1936

VASCO DA GAMA 0 x 0 BOTAFOGO
Local: São Januário
Árbitro: Virgílio Fedrighi
VASCO DA GAMA: Rei, Poroto e Itália; Oscarino, Zarzur e Calocero; Orlando, Luiz Carvalho, Feitiço, Nena e Luna.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Afonso, Zezé Moreira e Canalli; Álvaro, Carvalho Leite, Otto (Martim), Russinho e Patesko.

08.11.1936

BOTAFOGO 4 x 1 BANGU
Local: General Severiano
Árbitro: Loris Cordovil
Gols: Carvalho Leite (2), Russinho e Álvaro; Joaquim.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Afonso, Zezé Moreira (Martim) e Canalli; Álvaro, Carvalho Leite, Otto, Russinho e Patesko.
BANGU: Euclides (Sanchez), Mário e Camarão; Perigo, Paulista e Nadinho; Edmo, Antônio, Joaquim, Moacir e China. Técnico: Zé Maria.

29.11.1936

OLARIA 2 x 8 BOTAFOGO
Local: Rua Cândido Silva, Olaria
Árbitro: Loris Cordovil
Gols: Gringo e Cebinho; Carvalho Leite (4), Russinho (2) e Patesko (2).
OLARIA: Adolpho Madeira, Eneas e Alberto (Herculano); Lamas, Nunes (Joaquim) e Aristóteles; Ary, Gato, Pierre (Gringo), Cebinho e Motta.
BOTAFOGO: Aymoré Moreira, Otacílio e Nariz; Luciano, Zezé Moreira e Canalli; Álvaro, Martim, Carvalho Leite, Russinho e Patesko.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

A PRIMEIRA VEZ DO BOTAFOGO NO AMAZONAS

Sob o patrocínio do Expressinho Futebol Clube, o Botafogo fez uma rápida temporada de dois jogos a Manaus, em maio de 1962.
A temporada alvinegra poderia despertar mais atenção do mundo esportivo manauara se para lá fosse com todos os seus titulares. Jogadores de renome como Rildo, Nilton Santos, Joel, Garrincha, Didi, Quarentinha, Amarildo e Zagalo, oito, portanto, dos titulares, não foram com a embaixada do campeão carioca, todos servindo à Seleção Brasileira que se preparava para conquistar o bicampeonato mundial dias depois, no Chile.
Mesmo assim, o Botafogo ainda poderia formar uma equipe com grandes nomes do futebol carioca, tais como Manga, Zé Maria, Airton, Pampolini, Neivaldo, Amoroso e China, além dos novatos Aluízio, Sidney, Luciano, Nagel e Mainha.
O time misto do Botafogo já se apresentara em Recife (quando venceu o Santa Cruz por 4 x 3), em Natal (2 x 0 no ABC) e em Campina Grande (0 x 0 com o Campinense).
Em Manaus, ambos os jogos foram realizados no Parque Amazonense.
A estréia do Botafogo foi diante do Nacional. O jogo foi bastante disputado, com as duas equipes jogando de igual para igual. O Nacional não se intimidou com o cartaz do adversário e produziu além dos do que se esperava. Isso valorizou mais a vitória dos botafoguenses, que teve de lutar bastante para conseguir o placar de 3 x 1 a seu favor.
Detalhes do primeiro jogo:
Local: Parque Amazonense
Renda: Cr$ 250.000,00 (aproximadamente)
Árbitro: José Israel, com boa atuação
Auxiliares: Mário Santos e Pereira Serra.
Gols: Amoroso, 12; Airton, 50; Sabá, 54 e Aluízio, 89.
NACIONAL: Geraldo, Boanerges e Sampaio; Chincha, Aderbal e Vanderlan; Caíca, Jaime Basílio, Sabá, Ribas e Lacinha.
BOTAFOGO: Manga, Luciano, Nagel, Zé Maria e Paulistinha (Wilton); Airton (Pampolini) e Édson; Neivaldo (Aluízio), Amoroso (Domingos), China (Luís Carlos) e Sidney (Mainha). Técnico: Marinho.
Os ingressos foram vendidos aos seguintes preços: Arquibancada – Cr$ 250,00 e Geral – Cr$ 150,00.
Vinte e dois jogadores foram convocados para integrar o combinado amazonense que enfrentaria o Botafogo no dia 13 de maio.
Nacional: Boanerges, Sampaio, Ribas, Caíca e Vanderlan
São Raimundo: Valdir, Vadinho, Antônio Carlos e Chicó
Sul América: Gilberto, Zamundo, Sula e Fredoca
Auto Esporte: Hugo, Orlando Mineiro e Pratinha
Fast Clube: Português
Santos: Seba e Romão
Labor: Ophir
O segundo jogo do Botafogo em Manaus teve duas fases distintas: a primeira, com supremacia dos botafoguenses, até aos 30 minutos do período inicial, quando marcou 2 x 0 (Mainha aos 17 e Amoroso aos 20). A partir dos 30 minutos, os locais encheram-se de brio e conseguiram igualar a contagem, por intermédio de Pratinha (aos 35) e Hugo (aos 44).
No tempo derradeiro, as forças foram iguais, com ataques de lado a lado. Novamente Pratinha, aos 5 minutos do segundo tempo, desempatou para o combinado, cabendo a Amoroso, aos 16, dar números definitivos ao marcador.
Detalhes do jogo:
Local: Parque Amazonense
Árbitro: José Israel, auxiliado por Pedro Sampaio e Pereira Serra.
Renda: Cr$ 800.000,00 (aproximadamente)
COMBINADO AMAZONENSE: Waldir, Boanerges (Sales) e Seba; Zamundo (Chicó), Sula (Antônio Carlos) e Orlando Mineiro; Pratinha, Ophir, Fredoca (Vadinho), Português (Caíca), Ribas e Hugo.
BOTAFOGO: Manga, Luciano, Nagel, Zé Maria e Paulistinha; Airton (Pampolini) e Édson; Neivaldo (Aluízio), Amoroso (Domingos), China (Luís Carlos) e Mainha (Sidney).

Fonte: Jornal do Commercio.